DANÇA DE RODA - Danças Circulares Sagradas ou dos Povos

As danças circulares são, em sua maioria, danças folclóricas de diversos povos. São consideradas uma meditação em movimento, e têm diferentes objetivos, tanto terapêuticos, com benefícios mentais e físicos, quanto como atividade de relaxamento, diversão e integração de grupos. Ao trabalharem o equilíbrio entre o individual e o coletivo estimulam as atitudes cooperativas e o respeito às diferenças, já que a roda precisa de todos para acontecer e cada um tem seu tempo de aprender.

Aqui você encontrará mais informações sobre elas, além de agenda de cursos e de eventos relacionados.

Além das rodas nos parques, oferecemos também

Consultoria para Empresas e Instituições

Atuamos junto a empresas e instituições, utilizando as Danças Circulares com o objetivo de desenvolver e estimular competências e habilidades fundamentais para o ótimo desempenho de funcionários e gestores, entre elas:

* atitudes cooperativas;
* capacidade de trabalhar em grupo;
* liderança;
* criatividade.

Consulte-nos para que possamos desenvolver um programa personalizado para seus funcionários ou colaboradores.



Grupos regulares

Em condomínios, clubes ou academias.
Aulas em grupo, no mínimo 10 e no máximo 30 pessoas por turma.
Uma vez por semana, aula com 1:00 h. de duração, no período da manhã ou tarde.

Local: a combinar.
Para mais informações, entre em contato conosco.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Uma breve história das Danças Circulares Sagradas

Fra Angelico - Paraíso (1432-1435)

Louvada seja a dança, que tudo exige e fortalece: saúde, mente serena e uma alma encantada.
Aurelius Augustinus (Santo Agostinho)


Dançar é uma das manifestações humanas mais antigas. Em sítios arqueológicos é possível ver pinturas rupestres representando rodas de dança, que, provavelmente, tinham caráter ritual e de congregação. Mais tarde, as ocasiões especiais, como casamentos, nascimentos e mortes, eram honradas e comemoradas com danças, que também eram utilizadas pelos povos para comunicar-se com seus deuses e agradecer as boas colheitas, pedir por chuva ou pelo fim de uma epidemia, por exemplo.


São essas danças ancestrais a origem das Danças Circulares Sagradas. Nos anos 1960, o bailarino e coreógrafo alemão Bernhard Wosien, após uma longa e bem sucedida carreira no ballet, passou a dedicar-se à pesquisa e ensino das danças tradicionais dos povos. Em 1976, Wosien, já com mais de 60 anos, foi convidado a ensinar essas danças aos residentes da Comunidade de Findhorn, na Escócia. Sua visita inaugurou o movimento da Danças Circulares Sagradas, tal como o conhecemos hoje.


Bernhard Wosien

No Brasil, o pioneiro das Danças Circulares Sagradas foi o mineiro Carlos Solano Carvalho, que havia residido em Findhorn durante seis meses. O Centro de Vivências Nazaré, em São Paulo, comunidade criada nos moldes de Comunidade Findhorn, deu início às rodas de dança em 1987, com base no material didático desenvolvido por Anna Barton e publicado pela Fundação Findhorn, e em vivências feitas com Solano. O movimento tomou força no ano de 1995, ano em que Renata C. L. Ramos (de São Paulo), Carlos Solano e Sirlene Barreto (da Bahia) organizaram a vinda de Anna Barton, a focalizadora de Danças Circulares Sagradas em Findhorn, para ensinar as Danças no Brasil.

Hoje, as Danças Circulares Sagradas encontram-se cada vez mais disseminadas pelo nosso país, através do trabalho de focalizadores nas diversas regiões. Seu poder de integração e de resgate do sagrado na vida cotidiana fez com que as Danças passassem a ser utilizadas em diferentes contextos, entre eles o educacional, o corporativo e o da saúde. Desde 2002, realiza-se anualmente, em São Paulo, o Encontro Brasileiro de Danças Circulares... Sagradas, organizado por Renata C. Lima Ramos, Andrea Leoncini e Sonia Yamashita Lima, que reúne pessoas de todo o país, e proporciona uma intensa troca de informações e o contato e aprendizado com focalizadores vindos de diversas partes do mundo.

Referências:

RAMOS, Renata Carvalho Lima. Danças circulares sagradas: uma proposta de educação e cura. São Paulo: Triom, 2002.

WOSIEN, Bernhard. Dança: um caminho para a totalidade. São Paulo: Triom, 2000.

9 comentários:

  1. Oi Angélica,
    Parabéns pelo post e pelo blog. Está excelente!

    Gostaria de recomendar um blog sobre Planejamento Urbano:
    http://planejurb.blogspot.com/

    Abração,
    Claudiomar

    ResponderExcluir
  2. Que bom Zeneide! Será ótimo ter vc com a gente.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, Claudiomar!
    Sempre teremos novidades por aqui, não deixe de voltar.
    Abraço,
    Angelica

    ResponderExcluir
  4. Estou procurando cursos sobre danças circulares, mas percebi que todas as datas são de 2009.Tem algo mais recente? Obrigada Erika

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Laís. Agora que vi vc é não sei se AINDA aguarda resposta. Costumo ser Atrásada kkkk mas se quiser ainda, entre no site www.dancascircularea.com.brbe lá tem uma agenda estensa de danças circulares no Brasil todo. Também amo esta dança. 😘😘😘

      Excluir
  5. Olá1 Parabéns pelo trabalho! Gostaria de receber informações sobre os encontros das rodas e cursos, um grande abraço e sucesso sempre!!!

    ResponderExcluir

 
Creative Commons License
O logotipo (mandala) Dança de Roda by Maria Angelica de Melo Rente Basso is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.